Segunda, 15 de Julho de 2024
65 99680-8810
29°

Tempo limpo

Lucas do Rio Verde, MT

Dólar com.

R$ 5,45

Euro

R$ 5,94

Peso Arg.

R$ 0,01

Policia ESCAPOU DE SALVE

Polícia resgata menor que seria torturado por facção na ‘Vila do Chaves’ em Lucas do Rio Verde

Vítima foi levada até uma quitinete, onde sofreria sessão de tortura por suposta dívida de drogas.

14/06/2024 21h34
Por: redação Fonte: APARECIDO CARMO DO REPÓRTERMT
Reprodução.
Reprodução.

Um menor de 17 anos foi resgatado pela Polícia Civil nessa quinta-feira (13), após ser feito refém por membros de uma facção que o acusaram de ter uma dívida de drogas. O caso foi registrado em um local conhecido como “Vila do Chaves”, em Lucas do Rio Verde (330 km de Cuiabá).

A localização do adolescente foi feita por acaso. Isso, porque o local onde ele estava preso foi alvo de uma ação integrada das Polícias Civil e Militar, além da Guarda Civil Municipal para apurar denúncia de venda de drogas na região e disparos de arma de fogo.

 

O adolescente contou que havia recebido mensagens em uma rede social para que saísse de casa, sob a ameaça de que se não o fizesse, os criminosos matariam sua mãe e seu irmão. Com medo, ele foi para fora, onde foi rendido por dois faccionados que o colocaram em um carro e o levaram para a tal “Vila do Chaves”.

Os policiais ainda fizeram abordagens em um conjunto de quitinetes, onde estavam um homem de 21 anos e um adolescente de 17. Com os dois foram encontrados porções de drogas, balança de precisão e um rádio de comunicação.

Eles confessaram aos policiais que monitoravam a presença da polícia na região com o aparelho.

Dentro da quitinete foram encontradas mais porções de maconha, pasta base de cocaína, dinheiro e munições deflagradas, o que comprovaram a informação inicial de que tiros eram feitos no local.

Os dois foram conduzidos à Delegacia de Lucas do Rio Verde e autuados pelo crime de tráfico de drogas e sequestro e cárcere privado. O adulto ainda responderá pelo crime de corrupção de menores.

 
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.