Domingo, 05 de Dezembro de 2021
65 99680-8810
Polícia grava vídeo

Estudante de medicina grava vídeo para Deus antes de ser assassinada com 10 tiros de fuzil; veja

Até o momento, seis pessoas foram presas suspeitas de envolvimento no crime. Caso segue sendo investigado pela polícia.

20/10/2021 15h47
Por: Redação Fonte: cm7
Reprodução
Reprodução

A estudante de medicina, Rhannye Jamilly, de 18 anos, gravou um vídeo de seu momento com Deus antes de ser assassinada com tiros de fuzil. O crime ocorreu no último sábado (9), no Paraguai. Ela era natural de Curvelândia (a 280 km de Cuiabá), mas estudava medicina no país vizinho e vivia longe da família.

De acordo com informações preliminares ela tinha acabado de sair de uma casa noturna e estava em um veículo com mais três amigos, quando foram surpreendidos com a chegada de dois suspeitos em uma caminhonete branca, que se aproximaram do veículo e realizaram vários tiros de fuzil contra o carro. Entre as vítimas, estava um homem de 32 anos que era alvo dos atiradores.

A polícia relata ainda, que Rahnnye estava com Haylee, e que ambas eram amigas da faculdade de medicina. Haylee era filha de Ronald Acevedo, um governador paraguaio, e namorava o homem que era alvo dos pistoleiros, a polícia ressalta ainda que o homem era suspeito de ter envolvimento com o narcotráfico na região de fronteira.

Câmeras de segurança registraram o momento do crime, onde os suspeitos levaram menos de 10 segundos para matar todos que estavam dentro do veículo. Foram mais de 100 disparos contra o veículo.

O que mais chamou atenção dos internautas, é que pouco antes de morrer, a jovem publicou em suas redes sociais um vídeo louvando a Deus, com um trecho que falava sobre voltar para casa e reencontra-lo, como se já soubesse o que iria acontecer.

“Me leva para casa, eu quero voltar. Longe de ti não é o meu lugar. Corro depressa para te encontrar. De braços abertos como alguém que esqueceu”, cantou, enquanto tocava um violão.

Até o momento, seis pessoas foram presas suspeitas de envolvimento no crime. Caso segue sendo investigado pela polícia.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.